Assistência Estudantil

A Assistência Estudantil é o que garante nossa permanência e qualidade na formação dentro da Universidade pública, para que assim as/os estudantes que já têm sua entrada tão dificultada pelo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), Sistema de Seleção Unificada (Sisu), não sejam obrigados/as a desistirem de seus cursos por não terem condições de se manter neles.

O Restaurante Universitário (RU), a Residência Universitária, as ajudas de custo, as aulas de campo, as bolsas de iniciação acadêmica (trabalho), assistência médica, odontológica, cultural: todos fazem parte das políticas de Assistência Estudantil.

O que acontece é que essas políticas na UFC estão muito longe de suprirem a real demanda, e, com os cortes que a presidente Dilma vem fazendo desde o ano passado nas áreas sociais, que atinge diretamente a educação, a tendência é que piore!

Não podemos encarar políticas de assistência estudantil como assistencialismo uma vez que são direitos dos/as estudantes, logo, dever da Universidade, pois implica diretamente a permanência no ensino superior público.

Enquanto isso…

Há enormes filas no RU, residências com hóspedes que aguardam a abertura de vagas efetivas, obras inacabadas de prédios, blocos e salas de aula, professores não contratados ou efetivados: passamos cotidianamente por todos esses problemas para que possamos fazer aula prática sem ter que pagar por ela.

Mas, só esperamos? NÃO! E foi através de mobilizações do DCE, na gestão Lutamos porque os sonhos não envelhecem em parceria com alguns Centros e Diretórios Acadêmicos em 2010 e 2011, através da Jornada de Lutas pela Assistência Estudantil, que conseguimos a abertura nas férias do RU, abertura do RU noturno, por exemplo, porque a demanda existia e não fazia sentido continuar ignorando ela.

Mesmo com essas vitórias significativas e legitimas do Movimento Estudantil combativo, ainda há muito que fazer.

Por isso somos:

- Por residência para mulheres mães e creches universitárias;
- Por estrutura adequada para os novos cursos (gastronomia, cinema, fisioterapia,
oceonografia, energias renováveis, dentre outros);
- Por RU no Porangabuçu e Labomar;
- Pela clara definição do caráter da Bolsa de Iniciação Acadêmica;
- Pelo fim da taxa abusiva de R$ 8,00 em caso de perda do cartão do RU;
- Aumento da frota de ônibus para circulação interna no Pici;

Pós-Graduação

Outra questão que pesa em se tratando da assistência estudantil diz respeito aos estudantes de pós-graduação da UFC. Aos que vêm de outros municípios ou estados, não lhes é concedido o direito de moradia na residência universitária ou fornecido qualquer subsídio que possa custear tal despesa.

As bolsas de estudos são escassas e, quando concedidas, esbarram em burocracias relativas à sua manutenção e/ou renovação. O pagamento das bolsas (R$1.200 – mestrado e R$1.800), que há 4 anos não passam por reajuste, é feito com constantes atrasos e está condicionado à dedicação exclusiva do estudante. Por isso somos:

- Pelo direito à moradia aos estudantes de Mestrado e Doutorado
- Por reajuste real das bolsas de pós-graduação;
- Por estabelecimento fixo e cumprimento das datas de pagamento das bolsas;
- Pelo fornecimento de auxílio para a realização das pesquisas de campo;

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: